01/05/2019

Vítima de feminicídio já havia pedido medida protetiva em Cosmópolis

Segundo polícia, homem matou ex-mulher e cometeu suicídio na noite desta terça-feira

Da redação 

Patrícia Gomes da Cruz, assassinada pelo ex-marido na noite desta terça-feira (30) em Cosmópolis, já havia pedido uma medida cautelar protetiva no mês de abril. Vilmar Borges da Silva assassinou Patrícia e, em seguida, se matou.

Segundo o Boletim de Ocorrência (B.O.), Patrícia havia registrado dois boletins, tratando sobre a separação de Vilmar. No primeiro, no dia nove de abril, ela relatou que estava se separando e deixando o lar conjugar. Já no segundo, registrado no último sábado (30), Patrícia afirmou que estava recebendo ameaças do ex-marido e uma medida protetiva de urgência foi expedida.

O B.O. também conta que por volta das 20 horas desta terça-feira (30), Vilmar foi até a casa da mãe de Patrícia, onde a mesma estava residindo, e a chamou para conversar. Os relatos foram feitos pela mãe de Patrícia. “A genitora informou que a vítima se preparava para ir trabalhar, quando seu ex-esposo a chamou no portão e, mesmo com a insistência da genitora para que não saísse, a vítima decidiu ir e conversar com Vilmar para resolver a situação”, conta um trecho do documento.

O registro também afirma que alguns minutos depois, sem que tivesse ouvido discussão, a mãe de Patrícia ouviu os disparos. Não houve nenhuma testemunha ocular do crime.

Patrícia recebeu três tiros

A perícia chegou no local e encontrou os dois corpos, que estavam em frente à casa da mãe de Patrícia. A vítima do feminicídio recebeu três tiros. Um do lado direito do rosto, um no peito e outro nas costas. Em Vilmar havia um ferimento na cabeça.

Junto ao local do crime foi aprendido a arma, que estava entre as pernas de Vilmar e também um telefone celular. O revólver, calibre 38, está registrado no nome de um morador do estado de Minas Gerais.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique AQUI e envie para o Portal Cosmopolense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.