06/04/2020

"Sem fazer a leitura, minha conta de água veio um absurdo", reclama cosmopolense

Valor é o dobro da média do consumo da dentista

Henrique Oliveira

Além de estar com menos pacientes por conta da quarentena do coronavírus, uma dentista cosmopolense teve uma surpresa nada agradável no final do mês passado: os valores das contas de água.

Gilmara Marques é cirurgiã dentista e tem um consultório no bairro Bela Vista, região central de Cosmópolis. Segundo Gilmara, é de costume pagar uma média de R$70,00 de conta de água por mês em seu consultório.
Mesmo que não utilize tanta água (somente para limpar instrumentos e limpeza do prédio), ela nunca reclamou do preço, porém, na semana passada recebeu duas contas de água: a primeira que é referente à março (com pagamento em abril) e uma que é referente à abril (com pagamento em maio).

A conta de março veio no valor de R$94,33, um aumento considerável em comparação aos meses anteriores. Porém o susto maior é quando ela viu que a conta referente ao mês de abril (sendo que ela recebeu esta conta antes do mês ter início) veio no valor de R$168,11; ou seja, o dobro do valor pago por ela nos meses anterior.
“Todas as contas anteriores vem numa média de R$70,00. Somos um consultório odontológico mas não temos um consumo tão alto assim…”, reclama Gilmara.

Indignada, a dentista ainda questiona o porquê da conta referente ao consumo realizado no mês de abril já está em suas mãos (mesmo que o vencimento seja em maio) sendo que a leitura sobre este mês ainda não foi feita?
“Não fizeram nem leitura para saber o que eu consumi. Pois tem que vir fazer leitura; e isso parece que aconteceu com muita gente Praticamente nem chegamos neste mês, como fizeram a leitura? Tem que reclamar”, diz Gilmara.

A dentista diz que a limpeza no consultório é sempre realizada. Porém ela alega que não consome tanta água para que se chegue no valor de mais de R$160.
Gilmara diz que somente vai pagar o valor que ela consumiu, e que vai fazer a reclamação formal no Departamento de Água e Esgoto de Cosmópolis.

Outro lado

O Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Cosmópolis respondeu nossos questionamentos.
De acordo com o órgão, eles seguem uma resolução da Agência Reguladora dos rios que fazem parte da bacia do Piracicaba, Capivari e Jundiaí (ARES-PCJ) que determina que em tempos de crises, como a do coronavírus, seja feita uma média do consumo de cada residência e comércios.

“O DAE segue orientação da Resolução 345, de 23 de março de 2020, da ARES-PCJ que dispõe sobre as Condições Gerais de Prestação de Contas dos Serviços Públicos de Abastecimento de Água Tratada e de Esgotamento Sanitário durante o período de excepcionalidade emergencial e atípico para enfrentamento da pandemia de COVID-19. A resolução da Ares-PCJ recomenda que os municípios associados, entre os quais, Cosmópolis, emitam as contas pelas médias para evitar a exposição dos servidores que fazem a leitura e entrega das contas”, diz trecho da resposta.

“As contas basearam-se em média de consumo dos últimos 4 meses. O DAE informa que das 8 às 16 horas está atendendo aos consumidores que tiverem qualquer dúvida a respeito de contas emitidas”, corrobora.

Além disso, o DAE assegura que todos os hidrômetros – segundo o órgão são 20 mil em toda a cidade – são realizadas as leituras mensalmente.
“O DAE informa que a leitura, em tempos normais, é feita mensalmente em todos os mais de 20 mil hidrômetros da cidade”, diz a nota.

……………………………………..

Tem uma sugestão de entrevista? Clique aqui e envie para o Portal Cosmopolense


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.