06/11/2019

Prefeitura de Cosmópolis se pronuncia sobre vídeo de suposto esgoto despejado em represa

Morador da cidade diz que o líquido apresenta forte odor; prefeitura nega

Da redação

Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra uma tubulação que joga uma grande quantidade de um líquido em um determinado local da represa do rio Pirapitingui, próximo à Estação de Tratamento de Água (ETA Pirapitingui).

No vídeo, a pessoa que filma de dentro de um caiaque, narra dizendo que uma tubulação joga esgoto nas águas do rio que abastece a cidade de Cosmópolis. “Olha aqui gente. Ao lado da captação de água da cidade. Esgoto sendo jogado na represa! Olha só isso. Cheiro insuportável, esgoto sendo lançado in natura na represa, justamente onde a gente bebe a água. O tratamento está logo ali ao lado, olhe [apontando a câmera para o lado direito]. A captação de água da prefeitura, o tratamento, ali ao lado. Olhe só o descaso. Impressionante como ninguém do meio ambiente vem ver isso aqui!”, finaliza o munícipe mostrando indignação.

Por meio de nota, a Prefeitura de Cosmópolis, através da Secretaria Municipal de Saneamento Básico, diz que o líquido que escorre pela tubulação não se trata de esgoto, e sim de água proveniente da limpeza dos decantadores e dos filtros da Estação de Tratamento de Água do DAE.

A nota ainda reitera que o líquido não apresenta nenhum odor, como dito pelo munícipe no vídeo.

Confira a nota completa da Prefeitura de Cosmópolis:

“Circula nas Redes Sociais um vídeo que acusa a Secretaria de Saneamento de lançar esgoto na Represa Pirapitingui.

A respeito do vídeo a Secretaria de Saneamento e o DAE esclarecem:

1 – Não é verdade que o conteúdo derramado na Represa Pirapitingui mostrado no vídeo seja proveniente de esgotamento sanitário;

2 – O conteúdo provem da limpeza dos decantadores e lavagem dos filtros da Estação de Tratamento de Água do Rio Pirapitingui;

3 – O conteúdo do lançamento não traz nenhum prejuízo ao meio ambiente, não possui nenhum contaminante e não apresenta nenhum odor;

4 – Não há nenhuma possibilidade de se construir um emissário de esgoto junto a uma Estação de Tratamento de Água. Os próprios órgãos de controle ambiental não aprovariam o licenciamento de operação da ETA;

5 – A ETA de Cosmópolis é fiscalizada mensalmente pela Vigilância Sanitária Estadual, pela CETESB e pela ARES-PCJ, sendo certo que dessas fiscalizações são realizadas análises e elaborados relatórios reconhecidamente idôneos”.
………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique AQUI e envie para o Portal Cosmopolense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.