29/05/2020

O perigo não está somente no ar, cuidado com o solo!

Neste 15 de abril é celebrado o Dia Nacional da Conservação do Solo

Informe Publicitário

Vivemos um momento extremamente preocupante: a pandemia do coronavírus (Covid-19) tem afetado a todos os setores da sociedade e preocupado governos, órgãos de saúde e a população de modo geral. Afinal, basta um espirro ou tosse para que o vírus se espalhe pelo ar. Contudo, este texto não está aqui para tratar o contágio do Covid-19, mas outra grande preocupação, que também afeta a todas as pessoas do planeta: o solo, ou melhor, as consequências de sua degradação.

Neste 15 de abril é celebrado o Dia Nacional da Conservação do Solo. A data, instituída por meio de uma lei federal, no fim da década de 80, foi escolhida em homenagem ao dia de nascimento Hugh Bennet (1881-1960), considerado o ‘pai’ da conservação deste recurso natural. Mas você deve estar se perguntando: qual a importância de um dia para a conservação do solo? Ainda mais em meio a toda essa situação caótica em que vivemos?

Pois bem, o solo é um dos grandes responsáveis pela manutenção da vida na Terra, afinal provém dele grande parte do alimento e matéria prima para o desenvolvimento socioeconômico. Contudo, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) 33% dos solos do mundo já estão degradados ou comprometidos. Os principais prejuízos são o selamento da terra (fator agravante para enchentes), a perda da fertilidade e até mesmo interferência climática (solos comprometidos captam quantidade inferior de gás carbônico atmosférico).

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) cerca de 50% dos solos da América Latina estão sofrendo degradação. No Brasil, os principais desafios encontrados são o desequilíbrio de nutrientes, perda de gás carbônico além dos processos de erosão, salinização e acidificação. Tais fatores afetam diretamente a agricultura, e aí está o problema. Para que você tenha noção, até o ano de 2030 é preciso aumentar a produção de alimentos em mais de 60%, a nível mundial, a fim de suprir as projeções populacionais, de acordo com a FAO. Mas como isso será possível se o solo vem sendo degradado constantemente?

Muitas vezes não fica explícita, em nosso cotidiano, a tamanha importância do solo para a sobrevivência. Atividades básicas como alimentação e geração de energia dependem do solo. Inclusive, trazendo o contexto enfrentado atualmente,  o álcool em gel utilizado em larga escala para higienização das mãos e dos ambientes durante a pandemia do coronavírus tem origem na terra, por meio do cultivo da cana de açúcar.

O solo não é somente a base da atmosfera, mas de toda a sociedade. Por isso, a importância de refletir sobre o Dia Nacional da Conservação do Solo. Vem daí a responsabilidade individual, dos governos e das empresas em utilizarem técnicas sustentáveis para proteger este recurso natural não importante.

Grupo Bom Retiro, que possui uma ampla área de cultivo em Artur Nogueira e região, entende, prioriza e fomenta ações de sustentabilidade para a preservação do solo. O Grupo é uma empresa familiar composta de produtores de cana-de-açúcar e prestadores de serviços agrícolas. A empresa é a fornecedora da Usina Açucareira Ester S.A. desde 1958, com uma área aproximada de cultivo de 4.500 hectares entre terras próprias e arrendamentos. O grupo atua nos municípios de Artur Nogueira, Cosmópolis, Limeira, Conchal, Mogi-Mirim e Engenheiro Coelho. A fazenda do Grupo Bom Retiro está localizada na Rodovia SP 107, km 40, em Artur Nogueira. O telefone para contato é (19) 9 9848-4784. Conheça mais sobre a empresa acessando o site e curtindo a página no Facebook.


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.