10/07/2019

Dupla enfrenta mais de 1000 Km em fusca para se apresentar no Woldstock Rock

Banda Bombeiros do Sol é composta pelos irmãos Daniel e Murilo Chiaramonte, de Santa Luzia (MG)

Jeferson Junior

Informe Publicitário

Está chegando o festival que comemora os 50 anos do lendário Woodstock, considerado o maior evento cultural e musical do mundo. Nos dias 23, 24 e 25 de agosto de 2019, Artur Nogueira, cidade berço da amizade, se torna palco do Woldstock Rock Brasil. Nos três dias de festividade, passarão pelos palcos do evento grandes intérpretes do rock nacional e covers de ícones que se apresentaram no Woodstock original, há 50 anos. Uma das atrações confirmadas é a banda Bombeiros do Sol. A dupla, formada pelos irmãos Daniel e Murilo Chiaramonte, rodará mais de 1000 quilômetros em um fusca antigo, entre o percurso de ida e retorno da cidade de Santa Luzia (MG) até Artur Nogueira, para realizar o sonho de se apresentar em um grande evento.

“Vamos com nosso fusquinha, nosso amuleto da sorte, aquele que sempre nos ajudou. Tudo isso que está acontecendo é graças a Deus, nosso trabalho duro e essa porcaria de fusca abençoado! Vamos viajar parando de duas em duas horas senão o fusquinha abre o bico!”, explica Daniel Chiaramonte, um dos vocalistas dos Bombeiros do Sol. Contudo, até chegarem aos palcos do Woldstock Rock Brasil, a maior apresentação da carreira, houve muita persistência e afinco.

Os irmãos Chiaramonte nasceram em São Paulo, mas ainda cedo se mudaram com a família para Minas Gerais. Daniel, foi o primeiro dos irmãos a se apaixonar pelo universo musical. Aos 10 anos de idade, o menino já ensaiava as primeiras apresentações de rock. Três anos mais tarde o irmão e baterista Murilo comprou a ideia e assim formaram a primeira banda de rock, com viés mais sério e tradicional, entretanto, no final da década de 90 os planos da dupla se ressignificariam.

“Nossas músicas surgiam do deboche familiar e dos vizinhos. Até percebermos que a comédia era o nosso carro chefe foram vários anos. Com a experiência, vimos que o Murilo tinha que levantar da bateria e cantar comigo. Foi um acidente no percurso até a gente encontrar essa comédia musical”, explica Daniel.

Há 20 anos, as apresentações eram esporádicas, mas o sonho de viver da música seguia latente. Pouco tempo depois, Daniel e Murilo foram para São Paulo, em uma tentativa de divulgarem o trabalho. Foi ali que a banda recebeu o nome Bombeiros do Sol, em referência a uma de suas músicas que fala sobre apagar o sol. Em São Paulo, os irmãos seguiam lutando para conquistar seu espaço.

“Nós ficávamos na porta da MTV o dia todo. Até que um dia fomos convidados para participar do programa do João Gordo na plateia. Na semana seguinte fomos chamados para participar, de fato, de um quadro do programa onde precisávamos enfrentar uma banheira de água quente para divulgar nossas músicas. Quanto mais tempo aguentássemos o calor, mais tempo de programa a gente tinha”, relembra saudosamente Daniel.

Foi a partir desta experiência que os Bombeiros do Sol assumiram o Stand Up Comedy Musical como centro de suas apresentações. Ao longo dos 20 anos de carreira foram mais de 200 canções compostas e 8 CDS gravados, além de participações em programas de calouros com grande repercussão nacional como Ídolos, da TV Record, e Domingão do Faustão, da Rede Globo. Apesar disso, os irmãos afirmam nunca terem recebido reconhecimento financeiro.

“Ao longo dos anos, sempre de forma responsável, fomos pedintes de oportunidades por nunca termos tido empresário ou produtor. Nunca ganhamos dinheiro com música. Nós somos pais de família, eu tenho três filhas pequenas e o Murilo dois. Só continuamos com a banda por amor mesmo”, explica Daniel, que juntamente com o irmão trabalha com serralheria artística, transformando sucata em arte. Vem deste trabalho o sustento da família e uma parte do patrocínio da Banda.

“Também recebemos um pouquinho de dinheiro de fãs em vaquinhas online e de nossos familiares. Nosso outro irmão, Danilo, é caminhoneiro e nos ajuda com o transporte também. Mas quando precisamos, colocamos nosso fusquinha na estrada”, explica o cantor.

O show dos Bombeiros do Sol utiliza todos os estilos musicais brasileiros com uma pitada de rock, em uma apresentação dinâmica e engraçada. A dupla usa uma bateria eletrônica, um violão, tocado por Daniel e uma espécie de padeiro percutido por Murilo. O conceito se aproxima da arte circense, com influência teatral através de um repertório repleto de piadas auto sarcásticas.

“Nós fazemos comédia com a nossa própria história, sem ofender nada ou ninguém. Debochamos de nós mesmos. Muitas pessoas nos assimilam aos Mamonas Assassinas pela alegria, mas musicalmente nem tocamos Mamonas e nossa piada não é voltada para o deboche com relação a sexualidade ou ofensa”, explica Daniel.

“Somos chamados para cantar desde creches até asilos, só não temos repertório para velório! Pelo fato de cantarmos vestindo vermelho quebramos esse paradigma do rock ser algo triste ou sombrio. A gente é o avesso de todos os paradigmas. Foi ironia do destino. Nós criamos esse estilo através das referências que recebemos nos anos 90 em um certo protesto contra todos aqueles que ao invés de apoiar no início, fizeram a gente se tornar uma ‘banda torta’. Mas essa ‘banda torta’ tem alegrado crianças, jovens, adultos e idosos. A gente escolheu trocar os aplausos pelas gargalhadas”, completa.

Recentemente os Bombeiros do Sol fizeram a abertura do show do músico Ventania em São Tomé das Letras. Inúmeras oportunidades depois de 20 anos de carreira começaram a aparecer. Quando ficaram sabendo do Woldstock Rock Brasil não hesitaram em procurar o contato da organização do evento.

“Sou muito grato a Deus porque a organização esteve disposta a ouvir nosso pedido de corações e braços abertos. Foi o que deu o último gás depois de 20 anos para ter coragem de seguir com nosso sonho. É a maior oportunidade que a gente já teve na vida, nunca tivemos um show tão grande. Mesmo com nossa participação em programas de TV não conseguimos mostrar nossa música, aqui vamos conseguir mostrar o visceral do nosso show. Vai ser a vingança dos humildes!”, promete Daniel.

E aí, preparado para conferir a apresentação dos Bombeiros do Sol? Além do show dos irmãos  estão confirmadas as participações do famoso músico Ventania e as bandas Seven Keys, Queen Tribute Brazil (tributo ao Queen), Creedence Maniacs (tributo ao Creedance), Casa Vermelha (tributo a Jimi Hendrix), AC/DC Forever (tributo a AC/DC), Roberto Seixas (tributo a Raul Seixas), Lua Nua (tributo a Mamonas Assassinas), Xandra Joplin (Tributo Janis Joplin) e Legião Urbana Original Cover (tributo a Legião Urbana).

Vale a pena destacar que o Woldstock Rock Brasil contará com segurança reforçada, enfermeiros e brigadistas à disposição, uma completa praça de alimentação, área de camping com chuveiros e banheiros grátis, central de achados e perdidos, guarda volumes, estrutura de palco e iluminação profissionais, além de estacionamento exclusivo para carros, motos e triciclos.

 O Woldstock Rock Brasil, organizado pela Reda Eventos, com apoio da Prefeitura, Secretaria de Cultura e Encontro de Motociclistas de Artur Nogueira ocorre nos dias 23, 24 e 25 de agosto de 2019, no Balneário Municipal Guilherme Carlini. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site e nos seguintes postos de venda:

  • Americana –  Loja Heavy Metal – Rua 30 de Julho, 244.
  • Artur Nogueira – Fantasy Games – Rua XV de Novembro, 788.
  • Limeira – Loja Sintonia – Rua Dr. Trajano de Barros Camargo, 264.
  • São Paulo – Draco Studio – Rua Verissimo Prado, 667.

Para mais informações sobre o evento, área de camping, ingressos e excursões acesse o site oficial do Woldstock Rock Brasil.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.