10/03/2019

Homem é resgatado em meio à correnteza do ‘Paredão’ em Cosmópolis

Bombeiros de Paulínia participaram do resgate neste domingo

Henrique Oliveira/ Mariana Avanzzi

Um homem, de aparentemente 46 anos, foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros de Paulínia em meio à correnteza do ‘Paredão’ da Usina Ester em Cosmópolis no início da tarde deste domingo (10). O homem estava em meio às corredeiras que descem da barragem da represa do rio Pirapitingui, se segurando em galhos de árvores.

Com a represa cheia e a correnteza, o homem não conseguia se deslocar até as margens do rio. Uma amiga do resgatado, ambos moradores de Limeira (SP), disse que o homem estava andando sob a parede da barragem quando caiu e foi arrastado pela água.

Foram deslocados duas equipes do Corpo de Bombeiros de Paulínia, uma de resgate e outra de salvamento, além de uma equipe do helicóptero Águia da Polícia Militar de Campinas (SP). Por conta dos cabos de alta tensão que cruzam o rio, os bombeiros e o policial militar piloto do helicóptero decidiram por retirar o homem das águas através de cordas.

Os quatro homens do Corpo de Bombeiros e os dois da Defesa Civil de Cosmópolis utilizaram os meios de salvamento e o homem foi resgatado com ferimentos leves nas pernas e nos ombros.

“A princípio ele está com ferimentos nas pernas e nos ombros e por isso foi difícil retirá-lo do local e esta contusão limita os movimentos do ombro e das pernas. Por isso nós optamos por chamar também o Águia para auxiliar neste resgate; mas por conta dos cabos de alta tensão, o local não era apropriado e ficou inviável para o helicóptero fazer o resgate. Por fim, conseguimos retirá-lo com o sistema de cordas”, declara o sargento comandante da operação.

Após o resgate, o homem foi conduzido até a Santa Casa de Misericórdia de Cosmópolis.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique AQUI e envie para o Portal Cosmopolense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.